Pesquisa Nível de Emprego dezembro 2018

COM 3 MIL VAGAS CRIADAS, INDÚSTRIA DO ALTO TIETÊ LIDERA GERAÇÃO DE EMPREGO NO ESTADO EM 2018

Mesmo com índice negativo nos últimos dois meses, a Região tem o melhor saldo de contratações no ano. Setores de Metalurgia, Produtos Têxteis e Veículos Automotores e Autopeças impulsionam resultado no Alto Tietê
O Alto Tietê fechou 2018 com uma variação positiva de 5,02% no nível de emprego industrial, o que representa a criação de aproximadamente 3.050 postos de trabalho. Esse foi o melhor resultado da Região nos últimos anos e também o melhor do Estado de São Paulo. O Alto Tietê fechou o ano no primeiro lugar no ranking das 35 regiões industrias paulistas, mais a Capital, segundo pesquisa divulgada nesta sexta-feira (18/01) pelo CIESP – Centro das Indústrias do Estado de São Paulo.
Entre as Diretorias Regionais, 11 registraram saldo positivo no nível de emprego industrial e 24 ficaram negativas no ano passado. Além do Alto Tietê, com 5,02% de variação, as regiões que mais se destacaram em 2018 foram Taubaté (2,67%); Araraquara (2,27%); Sertãozinho (1,83%) e São José do Rio Preto (1,46%).
O Estado de São Paulo, como um todo, terminou o último ano com saldo negativo de -1,80% e fechamento de 38,5 mil vagas.
O Alto Tietê contabilizou oito meses de saldo positivo na geração de empregos em 2018 e quatro negativos, incluindo o último mês de dezembro, quando o saldo foi de -0,77%, com o encerramento de aproximadamente 500 vagas.
No balanço geral, no entanto, a Região contabilizou o segundo ano consecutivo de resultado positivo. Em 2017, o Alto Tietê teve uma alta de 1,93% no nível de emprego industrial, com cerca de 1.100 postos de trabalho – o primeiro saldo favorável desde 2011. Em 2018, o saldo aumentou para 5,02%, com 3.050 vagas abertas.
“A indústria criou, em 2018, cerca de duas mil vagas a mais do que no ano anterior, o que é um indicativo muito positivo da recuperação do setor no Alto Tietê. Em dois anos, tivemos um total de 4.150 vagas abertas e, mais uma vez, a diversidade do nosso parque industrial foi fundamental para esse resultado. Alguns setores principais, como o de metalurgia e o automotivo, se sobressaíram e compensaram outros, movimentando toda uma cadeia de suprimentos”, avalia José Francisco Caseiro, diretor do CIESP Alto Tietê.
Segundo o dirigente, o desempenho de 2018 poderia ter sido melhor, mas fatores como a greve dos caminhoneiros e as incertezas políticas comprometeram os investimentos. Para 2019, a confiança do empresário é maior.
“A expectativa é de que 2019 seja um ano melhor, com crescimento do PIB de 2,5% e da produção industrial em torno de 3%. Os investimentos devem voltar”, diz Caseiro.
Os resultados positivos da indústria do Alto Tietê em 2018 foram influenciados principalmente pelos setores de Metalurgia (120,13%); Produtos Têxteis (10,80%); Produtos de Minerais Não-Metálicos (8,82%); Veículos Automotores e Autopeças (7,28%); e Máquinas e Equipamentos (5,40%). Veja a evolução dos setores:

Quando comparados os meses de dezembro dos anos de 2017 e 2018, temos um cenário pior, pois em dezembro de 2017 o resultado foi negativo em 0,13%. Os gráficos abaixo mostram os resultados comparativos da Diretoria Regional dos meses de dezembro nos anos de 2006 a 2018 e a evolução mensal.

 

Mara Fl̫res РAssessoria de Imprensa Ciesp Alto Tiet̻