História

HISTÓRICO DA REGIONAL – CIESP ALTO TIETÊ

No início da década de 60, o desenvolvimento industrial de Mogi das Cruzes e da região era significativo. Um grupo de empresários do setor resolveu, então, criar uma delegacia regional do Centro das Indústrias do Estado de São Paulo (CIESP) no município, visando unir os industriais em torno de objetivos comuns. O primeiro encontro para debater a questão aconteceu no princípio de 1961 e em 6 de junho do mesmo ano, designou-se uma comissão para implantar a delegacia.

O livro de Ata da fundação realizada na sede da Elgin Máquinas de Costura S/A, no dia 05 de setembro de 1961, é considerado uma relíquia.

“Surgia um sonho idealizado por um grupo de vinte e três indústrias com o objetivo de reunir em uma Delegacia, a força pujante da indústria mogiana, exortando aos presentes que o passo democrático das eleições que iriam processar dentro de alguns instantes seria o augúrio de um futuro realmente promissor, pois pelo sagrado direito da livre escolha, dali sairia uma relação de nomes que quaisquer que fossem, elevariam para bem alto o nome da indústria mogiana que, crescente que é, atingiria os pináculos pelo intermédio da união que hoje era concreta pela associação de seus membros em forma de uma Delegacia, filiada à entidade máxima da classe, qual seja o Centro das Indústrias do Estado de São Paulo” transcrição histórica extraída da 1ª Ata da Criação da Delegacia do Ciesp que contém entre outras coisas, os nomes dos empresários que compuseram a primeira diretoria do Ciesp Mogi das Cruzes (hoje do Alto Tietê). Naquela ocasião o presidente era denominado Delegado. Em depoimento retirado dos arquivos do Ciesp, o saudoso Dr. JaberJ. Macari (Mineração Geral do Brasil), primeiro delegado da entidade relatou “Quando cheguei em Mogi em dezembro de 1944 a população era de 20 mil habitantes e a Av. Voluntário F. Pinheiro Franco era um trecho da Rio/SP e ambas as margens quase próximo ao antigo Banespa era erva cidreira, a Rua Principal era a Dr. Deodato Wertheimer, tinham 4 a 5 indústrias pequenas e os recursos eram poucos na região e muito tumulto, então uma parte dos industriais resolveram se unir e criar esta delegacia, foi uma grande luta mais valeu a pena”, e o vice-delegado era Benjamin Solitrenich(Cia Suzano de Papel e Celulose).

Foram empossados como conselheiros: José Guanaes Simões (Howa do Brasil), Paschoal Amendola (Valmet do Brasil), Gabriel Rodrigues (Cia. Mogiana de Tecidos), Marcos Schwartzmam (Indústria de Pianos Schwartzmam), Alcides de Vicente – Gutherman de 61 a 69 e de 70 a 85 na Onibra, atual Kimberly, uma coisa que entristece a todos que muitas empresas da época hoje não existem mais como a Cosim, e própria Gutherman, disse em depoimento aos 45 anos do Ciesp. Nuno A. Simões (Indústria de Papel Simão), Dr. Henrique M. Brito (IBAR), Pedro Garcia Alvares (Oroxó Indústria e Comércio) e Hélio Arbilu (Indústria de Papel Mogilar).

Ficaram como suplentes: Gothfried Jungimchel (Hoechst do Brasil S/A), Kenji Oton (Fiação Suzuki), José Francisco Carreiro (Indústria de Papel e Celulose Bandeirantes) e Galileu Ramires (Confecções Santa Terezinha). O diretor de departamento do Interior da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (FIESP) e CIESP, na época, Herbert Pereira, foi representado por Clóvis de Oliveira, que trouxe a autorização, expedida pela diretoria da entidade em 14 de agosto de 1961, para que Mogi das Cruzes sediasse a 18ª delegacia regional do interior do Estado. Ela abrange as cidades vizinhas de Ferraz de Vasconcelos, Itaquaquecetuba, Poá, Suzano, Biritiba Mirim, Salesópolis e Guararema.

No início, a sede foi instalada na Avenida Conselheiro Nami Jafet, 265, na Mineração Geral do Brasil, onde trabalhava o delegado recém empossado, Jaber João Macari. De lá, em outubro de 1961, a delegacia passou para a Avenida Voluntário Fernando Pinheiro Franco, 87, 1º andar, onde ficou até 1966. Depois, foi para a Rua Dr. Deodato Wertheimer, 267, 1º andar, e em 1973, para a Rua Princesa Isabel de Bragança, 251, tendo permanecido dez anos neste endereço, depois passou a ocupar o 9º andar do edifício Yoshime Horii, também na Rua Dr. Deodato Wertheimer, 1605. Hoje ela está localizada na Rua Cel. Santos Cardoso, 537 -Jardim Santista.

Com o conselho integrado por 60 indústrias, de toda a região, e a diretoria composta por três membros, eleito a cada triênio, Mogi implantou, um sistema administrativo inovador, com maior participação de grandes indústrias de Mogi e Suzano, o que propicia maior autonomia à sua regional.

Na década de 80, fazer da Delegacia Regional do Ciesp Mogi, um órgão trias de Mogi e Suzano, o que propicia que representasse efetivamente os interesses das indústrias, foi a proposta do diretor Angelo Albiero “In Memorian” e sua equipe. Os representantes das indústrias deram total apoio para que o projeto de integração com a comunidade fosse realizado.

Firmar posição de que a classe empresarial deve ter participação social. Por isso, trabalhar na construção e manutenção de creches e na doação de equipamentos para o Corpo de Bombeiros, a Polícia Militar e a Civil. Colaborar no esporte, com blocos e escolas de samba, mostra a preocupação da indústria, além do desenvolvimento econômico. A otimização do trecho SP-66 entre Mogi das Cruzes e Suzano, a implantação de gás natural, a triplicação da capacidade da estação de captação do Semae, são necessidades da indústria e que trazem tranquilidade para a população.

Outro aspecto positivo da delegacia nesta época foi o bom relacionamento que manteve com as lideranças sindicais.

O século XX foi destino de imigrantes, principalmente japoneses, e palco do desenvolvimento industrial, acompanhando o ritmo de desenvolvimento nacional de meados do século XX.

 

CIESP РAlto Tiet̻